domingo, 2 de agosto de 2009

Te mexe desse canto estreito
A espera é eterna
Os "achamentos" são contínuos
As descobertas são emotivas
E te fazem crescer!
O dia de ontem passou...
Mas não se apagou...
A rosa nasceu, cresceu e morreu...
E acabou?
Não!
Ela renasce sempre!
Em outras formas, cores, cheiros,
mas sempre se recupera do temporal,
das gotas que atacam com força e fazem doer!
Hoje chove...
Mas nunca chove pra sempre!
Agora é noite...
Mas nunca é noite pra sempre!
Agora a Lua te ilunina!
Mas até ela descansa...
E deixa o Sol para guiar teus passos...
e para enxergares a VIDA !

Um comentário:

  1. “E o que fazer nas noites sem luar?”
    Adorei

    ResponderExcluir