sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Fim do ano... não sabia que o tempo tem fim... não sinto esse fim...

Cai cai balão!!
Balão que esvazia-se e chega a mais um fim
Em seus vôos o que conquistou?
Quem conquistou?
O vento leve e breve bateu em sua face e doeu,
porque ele achou que tal leveza e brevidade
não atacariam como um gás hilário e nobre tal como o Hélio
Que me encheu de risos... me fez criança...
jogando bola, comendo bala, subindo na árvore...
E lá do topo, lágrimas voaram e não chegaram ao teu alcance
Por ti - para ti- con ti go - em ti - e finalmente - sem ti
Virei pérola
Sagrada
Sacramentada
Chorada
Atormentada
E apaixonada
E esvaziando-me
Sofri e Vivi e não vivi e me escondi em minha concha
Muitos me chamaram, me aclamaram, mas surda estava
Parei e lembrei de quem amo
De quem amei e abandonei e não expliquei o porquê
Agora quero seu abraço... mas já fosses sem despedir-se
Como queríamos... .
Quando era a maçã lá no topo
Quando era balão perdido no céu
Quando comecei a esvaziar-me
Quando pedi pra esquecer o inesquecível por medo
Quando te tive e me tiveste só em parte
Estavas lá
E meus 6 sentidos estavam dentro do balão...
Lutando por um equilíbrio... mas eles fugiram...
Voaram para longe e para perto
Tão perto que não enxergava, não sentia, não ouvia,
Não te degustava e muito menos tinha seu perfume...
Mas restava algo do sentir o sensível
É o que está me fazendo voltar ao chão
Aos da minha volta
Aos que me vêem e me enxergam
Mas os que não me enxergam me põem em conflito...
Mas não vôo mais esse ano!
Finalizo no chão!
Mas... longe de ti
Mas... perto de mim
Mais perto de eu
Mais longe de tu

Um comentário:

  1. Que massa, adorei o blog. Parabéns ai pelos poemas viw! forte abraço

    ResponderExcluir